O que é imunidade de rebanho?

#solucaoclinicadiagnostica #exameslaboratoriais #laboratorio #vacinacao #imunidadederebanho

Bastante conhecido no meio científico, esse termo ganhou popularidade com a pandemia da COVID – 19, mas, ainda assim muitas pessoas ainda não sabem o seu real significado.

Essa expressão é usada para se referir a uma imunidade coletiva, ou seja, quando há um determinado número de pessoas com resposta imune a uma doença específica.


Quando boa parte da população possui imunidade a taxa de contaminação diminui. A porcentagem mínima, de pessoas imunes, para ser considerada como imunidade de rebanho varia de acordo com a doença, esse é um cálculo utilizado por epidemiologistas e infectologistas para determinar a porcentagem da população que precisa receber vacinas.


Um caso para exemplificar essa questão é a imunidade de rebanho alcançada por meio da vacina de sarampo e poliomielite no Brasil. Para essas doenças, a vacinação de 95% da população foi a medida responsável por proteger toda a população.


Agora, para trazer essa prática para o cenário atual, a imunidade de rebanho para o coronavírus pode, em teoria, acontecer de duas formas: por meio da vacinação, ou naturalmente quando grande parte da população é infectada e se torna imune.


Porém, a segunda opção pode nos levar a um número assustador de mortes até atingirmos a quantidade de recuperados necessária. Além disso, não está esclarecido se o contato com o novo coronavírus traz imunidade duradoura, estima-se que a imunidade dure apenas alguns meses e já registram-se casos de reinfecção.


Por isso, os pesquisadores acreditam que a imunidade para a Covid-19 deve ser vacinal. Esse é o desafio enfrentado pelo Brasil e pelos demais países nesse momento, a vacinação contra o coronavírus não é um ato individual e sim coletivo, já que a doença possui uma transmissão muito rápida entre as pessoas.


Apesar do início da vacinação contra o coronavírus em vários países, acredita-se que a imunidade coletiva ainda levará meses. Fatores como a produção e a distribuição dessas doses vão impactar no resultado final.


Pesquisas indicam que se todas as doses previstas em contrato cheguem ao Brasil e sejam usadas na campanha de vacinação, é possível que 75% da população esteja vacinada até outubro de 2021, sendo que até o final do ano o país alcançará a imunidade de rebanho.

Portanto, manter as recomendações da OMS ainda são fundamentais para conter a pandemia, como o distanciamento social, o isolamento doméstico, o uso de máscaras e a higienização das mãos e de superfícies.